Óleo de coco: benefícios e desvantagens

Saiba se vale a pena inserir o queridinho do momento em sua rotina de cuidados com a sua pele e cabelos.Foto: Freepik

Podemos dizer que em 2020 ele foi o ingrediente sensação da rotina de cuidados com a pele e cabelos. 

E ele foi considerado o famoso “pau para toda obra”, pois fazia bem para tudo, seja na hora de hidratar os fios, fortalecer o sistema imunológico ou dar aquele “up” para ter uma pele mais viçosa e hidratada.

O óleo de coco é, de fato, um produto muito rico. Possui em sua composição muitos ácidos que agregam propriedades muito benéficas e que são facilmente metabolizados pelo nosso organismo.

Seu óleo é extraído a partir do leite de coco, e é incolor, possui um cheiro característico de coco e a sua textura pode variar de acordo com a temperatura do ambiente.

Mas tirando todo esse boom, será que ele é tão benéfico assim para a nossa pele? Já dando uma pequena dica: sim, mas com ressalvas. 

Segue o fio para descobrir um pouco mais sobre os mitos e as verdades desse componente!

Foto: Freepik

Hidrata a pele e os fios?

Verdade! Ele é muito conhecido pelas suas propriedades hidratantes, e é excelente para quem possui a pele seca.

Além de eficaz, é muito seguro para ser usado como hidratante, pois em um geral, é um produto 100% natural, ou seja, livre de qualquer tipo de conservante.

Um estudo mostrou que o seu uso é muito eficaz no tratamento de eczema, que é uma irritação da pele, que pode causar diferentes tipos de lesões.

Ele age na pele preservando a barreira protetora natural e promove a cicatrização, mantendo a integridade do tecido.

A pele madura demanda de mais hidratação, pois com o passar da idade a pele diminui a produção natural de sebo, que além de proteger ajuda a reter hidratação. Então pode apostar nele para hidratar seu corpo.

Já para os fios, ele também é um bom aliado, pois possui as vitaminas K e E, que fazem bem para os fios. 

O ideal é aplicar o produto no cabelo seco, preferencialmente antes de dormir. Espalhe o produto do comprimento para as pontas, evitando o contato direto com o couro cabeludo.  

No dia seguinte, passe um pouco de condicionador minutos antes do banho para facilitar a sua completa remoção.

Possui ação contra bactérias e fungos?

 Verdade! Um dos muitos ácidos presentes em sua composição é o ácido láurico. Ele possui propriedades antimicrobianas, que protege contra contaminações por fungos e bactérias.

Para impedir o crescimento desses organismos, você pode aplicá-lo diretamente sobre a pele machucada. Além disso, ele ajuda na cicatrização da região afetada.

É anti-inflamatório?

Verdade!  Alguns estudos já feitos mostraram que o óleo de coco apresenta propriedades que podem combater inflamações da pele.

Podendo ser muito eficaz no tratamento de dermatites, tratando as lesões e aliviando as dores que por elas são causadas.

Pode ser usado na pele do rosto?

Nem verdade, nem mito. Depende.

Existe uma escala que vai de zero a cinco, que mede o nível de comedogenicidade de um produto, ou seja, se ele pode entupir os poros, causando o aumento de cravos e espinhas.

O óleo de coco atingiu o nível quatro dessa escala. Entretanto, não significa que ele não pode ser usado, ele pode, mas quem possui a pele oleosa e com propensão a acne deve evitar.

Há exceções. Existem pessoas que utilizam o óleo e aplicam diretamente na pele e nada sofrem, pelo contrário, além de hidratar, ele até ajuda a combater a acne inflamatória.

Pois o ácido láurico possui ação anti-inflamatória, agindo diretamente nesse tipo de espinha.

O recomendado é que você fale com a sua dermatologista, caso você possua a pele oleosa ou com propensão ao aparecimento de acne antes de utilizar o óleo. 

Gostou do conteúdo? Compartilhe com as suas amigas, e se você tiver mais alguma dica sobre o uso do óleo de coco, deixe nos comentários! 

Fontes: