Lábios ressecados: como cuidar e evitar no período seco?

Com a chegada do inverno, a umidade e as temperaturas caem drasticamente. Essa mudança de clima afeta todo o nosso corpo. Os lábios são os primeiros a dar os sinais de ressecamento e desidratação nesse período. Mas, você sabe como cuidar dos lábios nessa época?

Imagem: Pixabay

Por que os lábios ressecam?

Os lábios não possuem glândulas sebáceas como o restante do corpo humano, são apenas cobertos por uma mucosa. Essa falta se “sebo” nos lábios, os deixam mais sensíveis aos fatores externos.

Além disso, os lábios possuem uma pele fina e sensível que sempre está em uso. Seja falando, comendo, bebendo, essas ações contribuem para que a região perca a hidratação natural e fique exposta às bactérias. Fonte: Minha Vida.

A mudança repentina do clima, o uso de ar-condicionado diariamente e a falta de água no corpo contribuem para que os lábios ressequem. É importante lembrar que, pessoas com psoríase têm mais chances de ter lábios rachados no tempo seco.

Outros hábitos também são prejudiciais para os lábios e pioram durante o tempo seco:

  • Mania de lamber os lábios;
  • Respirar pela boca;
  • Desidratação;
  • Falta de vitamina B;
  • Remédios para controle de acne;
  • Usar batons com chumbo na composição.

Como cuidar?

Imagem: Freepik

Segundo a Sociedade Brasileira de Dermatologia do Rio de Janeiro, hidratação é primordial nesse momento. É necessário hidratantes labiais com ativos que protejam e restaurem os lábios. As principais propriedades que ajudam a proteger e hidratar os lábios são a cera de abelha, óleo de amêndoa, vaselina, óleo de coco, manteiga de karité, glicerina e vitamina E. Cremes com bepantol também ajudam a diminuir o ressecamento dos lábios.

Além de dar a prioridade para a hidratação dos lábios, é importante não esquecer dos protetores labiais. O uso diário desses dois itens vão prevenir e diminuir o ressecamento dessa região, e o melhor, podem ser usadas várias vezes ao longo do dia.

Usar umidificador durante o período seco também ajuda a combater e prevenir o ressecamento nos lábios. Se tiver, use durante a noite que já vai te ajudar bastante. Essa dica vale principalmente para quem tem o costume de dormir de boca aberta.

É fundamental que, enquanto estiver com os lábios secos, hidratar-se sempre. O Ministério da Saúde recomenda a ingestão de pelo menos 2 litros de água diariamente. Auxilia na hidratação dos lábios, cabelos, unhas e também ajuda a emagrecer, protege contra dores e pedras nos rins, aumenta a resistência física, melhora o funcionamento do intestino e protege o coração.

Imagem: Freepik

O que deve ser evitado quando está com os lábios ressecados?

Quando se está com os lábios secos, é comum passar a língua para tentar “hidratar” onde tanto incomoda. Mas, esse hábito resseca ainda mais os lábios. A saliva possui enzimas digestivas que são danosas para a mucosa da boca. Essa prática influencia mais ainda para o ressecamento dos lábios.

Outra prática que deve parar enquanto os lábios estiverem ressecados e rachados, é a esfoliação. Essa ação vai machucar os lábios, ressecar ainda mais e causar desconforto. Tenha sempre em mente que o melhor é hidratar. Para evitar maiores dores e desconfortos, evite frutas cítricas, sal, gordura e pimenta.

Se o ressecamento também estiver no canto da boca, é importante consultar-se com um dermatologista. A hidratação não é suficiente e a queilite angular se desenvolve na região. A queilite angular é uma inflamação causada por bactérias e fungos. O profissional saberá qual o melhor tratamento para você seguir.

E para fechar, não fique puxando as pelinhas que estão soltando! Isso vai deixar seus lábios ainda mais sensíveis, piorando o desconforto que já está presente.

Através desses passos, será muito mais fácil cuidar dos seus lábios e evitar aquele desconforto que o ressecamento e as rachaduras costumam causar. Os principais produtos para auxiliar a hidratação dos lábios são os batons hidratantes, lip balm, vaselina, gloss, pomada cicatrizante e manteiga de cacau. Todos esses itens são encontrados em farmácias.

Fontes: Área de mulher, Tua Saúde, Minha Vida e Sociedade Brasileira de Dermatologia.